Crítica: A Baleia






Adaptação cinematográfica da peça homônima de Samuel D. Hunter, A Baleia conta a história de um professor universitário sofrendo uma crise pessoal após a morte do namorado. Isolado e com sérios problemas de saúde em decorrência do peso, Charlie (Brendan Fraser) é confrontado por uma série de personagens que provocam sua atual situação como a filha, a ex-esposa, sua enfermeira e um jovem religioso que bate a sua porta. 

A versão cinematográfica de A Baleia ficou nas mãos de Darren Aronofsky, cineasta que a despeito de êxitos artísticos como Requiem para um Sonho e Cisne Negro, tem no currículo obras divisivas como mãe! e Noé. Aronofsky costuma levar a sério demais seus insights como realizador, sua persona de autor cinematográfico e carrega excessivamente o tom dos seus filmes com dramatizações que flertam com o horror. A Baleia incorpora a maioria dos cacoetes do realizador. 


Ao trazer para o público a situação de Charlie, alguém com o estado emocional fragilizado e que, por consequência, adquire um quadro de obesidade mórbida, Aronofsky deseja convocar a empatia do público para a situação do seu protagonista. Em A Baleia, o diretor quer que a gente se coloque no lugar de Charlie, compreenda suas dores e tenha ciência dos seus desejos (abandonar sua família para viver uma relação homossexual) e escolhas de vida (viver um luto em isolamento) sem juízo de valor, se solidarizando com a dor do protagonista. É isso que o roteiro do filme deseja e que em alguns momentos é acatado por sua direção.

Acontece que há uma série de ruídos na realização de A Baleia. Apesar dos anseios humanistas, Aronofsky retrata a condição do protagonista com uma certa repulsa ao caracterizar seu apartamento como um ambiente sujo, destacar o descaso com sua aparência, o choque com o físico do ator Brendan Fraser sob quilos de maquiagem e enfatizar a dieta do protagonista como impulso animalesco. Os recursos que Aronofsky utiliza para isso são uma fotografia sombria, a trilha sonora com acordes  soturnos e uma direção de arte e maquiagem que sublinham o apartamento e a aparência do personagem com juízo negativo sobre seu estado. Tais decisões entram em choque com o tipo de relação que Aronofsky quer que o público tenha com seu protagonista e sua jornada, tornando A Baleia um filme contraditório que nunca é muito claro com o espectador a respeito das conclusões e das ideias que quer passar ao contar a jornada dramática do professor Charlie. 


Há méritos na produção, claro. O elenco é muito mais eficiente na vocação humanizadora do texto de A Baleia do que seu diretor. Se A Baleia rende momentos minimamente edificantes isso acontece graças ao desempenho formidável da maioria dos seus atores, que compreendem melhor as dores daqueles personagens que seu diretor.  Brendan Fraser é o grande destaque ao entregar a interpretação da sua vida como um homem completamente despedaçado. Há que se reconhecer também o trabalho preciso de Hong Chau como a enfermeira Liz, uma personagem que de cara chama a atenção por sua abordagem direta ao confrontar as demais personagens, incluindo Charlie. Completam o elenco, Samantha Morton em um bom momento como a ex-esposa do protagonista e Sadie Sink, talvez o elo mais fraco entre os atores como a filha de Charlie. 

No saldo, A Baleia é um filme marcado por uma direção que cria armadilhas para si, oras ela parece compreender o ponto nevrálgico do propósito das linhas do seu roteiro, oras parece se afastar completamente dele. Para a sorte do longa indicado a 3 Oscars (ator, atriz coadjuvante e maquiagem e cabelos), a história encontra nos seus atores e no duelo de suas  atuações um ponto mínimo de entendimento e redenção com o público. 


Avaliação



Título original: The Whale
Ano: 2022
Duração: 117 minutos
Nos cinemas
Direção: Darren Aronofsky
Roteiro: Samuel D. Hunter
Elenco: Brendan Fraser, Sadie Sink, Hong Chau, Samantha Morton, Ty Simpkins. 


Assista ao trailer:



COMENTÁRIOS

BLOGGER: 1
Loading...
Nome

Agenda,14,Checklist,11,Cinco Atos,1,Crítica,315,DVD & Blu-Ray,6,É Tudo Verdade,3,Editorial,2,Ensaios e Artigos,19,Entrevista,2,Extras,9,Listão,34,Matéria Especial,28,Mostra SP,6,Notícias,39,Podcast,3,Prévia,77,Radar Crítico,20,Recomendações,110,Resenhas,286,Rewind,15,TV & Streaming,80,Vídeo,10,Vilões que Amamos Odiar,1,
ltr
item
Chovendo Sapos: Crítica: A Baleia
Crítica: A Baleia
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEiuJmIPP5yQA6mEsaWLJ_3wEyud4Jr15eZyT3fVGfJ4kpy_8pU3ohf5H0DvI2S4spDUZ88e334GCok53dUuw9HxIJDgxI1Kzo30QzGFAywdMjo9-xQTjKdXa6Yc-caJo1T4DMMqJkQNaqwKO7D36lmFnt8hSj-oMxhQOZO4wMDfQ1FfaQPqtUEP6PNYVA/s16000/a%20baleia.jpg
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEiuJmIPP5yQA6mEsaWLJ_3wEyud4Jr15eZyT3fVGfJ4kpy_8pU3ohf5H0DvI2S4spDUZ88e334GCok53dUuw9HxIJDgxI1Kzo30QzGFAywdMjo9-xQTjKdXa6Yc-caJo1T4DMMqJkQNaqwKO7D36lmFnt8hSj-oMxhQOZO4wMDfQ1FfaQPqtUEP6PNYVA/s72-c/a%20baleia.jpg
Chovendo Sapos
http://www.chovendosapos.com.br/2023/03/critica-baleia.html
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/2023/03/critica-baleia.html
true
3477978344278040615
UTF-8
Posts carregados Nada encontrado! VEJA MAIS Leia mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PÁGINAS POSTS Ver todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO PESQUISAR TODOS OS POSTS Nada encontrado VOLTAR Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESSE CONTEÚDO É PREMIUM Por favor, compartilhe para liberar! Copie todo o código Selecione todo código Todos os códigos foram copiados Não foi possível copiar o código