Crítica: Os Fabelmans








Uma fábula sobre o cinema

Em Os Fabelmans, Steven Spielberg busca inspiração em sua trajetória profissional para fazer uma ode aos filmes. 




Muito se anuncia que Steven Spielberg não faz um filme à altura dos seus melhores trabalhos há anos. Não deixa de ser uma verdade. The Post: A Guerra Secreta O Bom Gigante Amigo foram pontos baixos na carreira do diretor. Ainda que bons títulos, Jogador nº 1, Ponte dos Espiões e Amor Sublime Amor, não são equiparáveis a seus melhores momentos. Com Os Fabelmans, o patamar é outro. Ele consegue ser sublime, atingindo sua melhor forma ao equilibrar seus melhores recursos como cineasta e deixar um pouco de lado seus excessos. Tudo fica ainda mais especial quando temos ciência de que Os Fabelmans é um filme significativo na carreira de Spielberg já que é livremente inspirado na sua própria biografia. 

Os Fabelmans conta a história de um garoto judeu que se apaixona por cinema e passa a levar a ideia de fazer filmes cada vez mais a sério. O longa traz a jornada de amadurecimento desse personagem a partir da sua vivência familiar, com uma mãe que sonhava ser artista e um pai pacato e pragmático. Ao longo da narrativa, Spielberg pincela eventos como a mudança da família para uma outra cidade, os problemas emocionais da mãe do rapaz interpretada de maneira primorosa por Michelle Williams e a vivência do protagonista no colégio, todos mediados pela câmera do garoto. Através dela, ele entende e se comunica com o mundo.  


Os Fabelmans é um longa sustentado por emoções muito fortes ao mesclar a clássica narrativa do rito de passagem com uma carta de amor escancarada de Spielberg ao cinema e a sua mãe, uma mulher cujo espírito artístico o inspirou por toda a sua carreira. É um território que inevitavelmente inspira emoções intensas no cineasta e a expectativa natural de qualquer público letrado na sua carreira era de que Spielberg corresse o risco de sucumbir àquele que é um dos seus "calcanhares de Aquiles": a alegada pieguice de suas histórias. Isso não acontece com este filme. Em Os Fabelmans, o cineasta encontra-se muito resolvido na produção desse tipo de efeito pois ao invés da lágrima fácil, o diretor deixa a força da sua história e dos seus personagens se comunicarem organicamente e sem afetações com o espectador. 

A direção de Os Fabelmans é um primor. O longa é completamente costurado pelas experiências do protagonista com a câmera, sendo a imagem a forma como Spielberg desenvolve o amadurecimento desse protagonista e estabelece a intermediação deste com os demais. Isso está claro, por exemplo, em uma cena emblemática na qual o rapaz exibe para sua mãe um filme realizado por ele a fim de lhe revelar a ciência de segredo que ela guarda da família ou então no momento em que ele exibe um filme para seus colegas de escola que sintetiza o seu olhar sobre todos eles. Esse modus operandi também é posto para funcionar nos momentos mais singelos de Os Fabelmans, como quando o garoto observa o seu trenzinho de brinquedo tal qual A Chegada do Trem na Estação, experimento de 1896 dos Lumière, ou quando ele percebe os sinais vitais da sua avó no leito de morte. O olhar é um ponto fundamental na jornada desse protagonista, na sua formação profissional, claro, mas principalmente na sua formação humana.



Spielberg conta com um ótimo protagonista. O ator Gabriel LaBelle dá vida de maneira bastante consistente a Sammy Fabelman, o Spielberg do filme. Ao seu lado está Michelle Williams em um desempenho primoroso como Mitzi Fabelman, a mãe do protagonista, uma mulher cheia de camadas e que sofre bastante ao reprimir suas paixões, alternando momentos de liberdade, fragilidade e coragem. A personagem de Williams cria um ponto de entendimento e identificação singular com Sammy. Paul Dano também está fantástico como Burt Fabelman, o lado mais "pé no chão" da família, mas não menos afetuoso com seu primogênito. Há também uma ótima participação de Judd Hirsch como o tio Boris, um artista de circo que visita os Fabelman quando a mãe de Mitzi falece. Hirsch toma conta da cena em um diálogo simbólico com Sammy a respeito daquilo que significa ser artista no mundo onde vivemos. 

Spielberg faz um filme cheio de alma, que reúne algumas de suas melhores características e capta muito bem as referências pessoais do seu legado artístico. A família Fabelman é composta por pessoas boas, que inspiram sentimentos positivos e o diretor consegue criar uma dinâmica orgânica para aqueles conflitos familiares. Ao mesmo tempo, quando Sammy atinge a adolescência, como é de praxe, Spielberg consegue captar como poucos a vivência colegial, apresentando seus dramas, mas dando uma leveza para todos aqueles momentos. E todo esse percurso de crescimento do seu jovem protagonista é conduzido pelo profundo amor que o diretor tem pela sua arte, que não é apenas um ofício, um ganha-pão, mas uma extensão da sua própria subjetividade. 
 

Avaliação


Título original: The Fabelmans
Ano: 2022
Duração: 151 minutos
Nos cinemas
Direção: Steven Spielberg 
Roteiro: Steven Spielberg e Tony Kushner
Elenco: Gabriel LaBelle, Michelle Williams, Paul Dano, Seth Rogen, Judd Hirsch, Mateo Zoryan, Julia Butters, Keeley Karsten, Sophia Kopera, Jeannie Berlin, Robin Bartlett

Assista ao trailer:


COMENTÁRIOS

Nome

Agenda,14,Checklist,11,Cinco Atos,1,Crítica,315,DVD & Blu-Ray,6,É Tudo Verdade,3,Editorial,2,Ensaios e Artigos,19,Entrevista,2,Extras,9,Listão,34,Matéria Especial,28,Mostra SP,6,Notícias,39,Podcast,3,Prévia,77,Radar Crítico,20,Recomendações,109,Resenhas,285,Rewind,15,TV & Streaming,80,Vídeo,10,Vilões que Amamos Odiar,1,
ltr
item
Chovendo Sapos: Crítica: Os Fabelmans
Crítica: Os Fabelmans
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEgshghm7XBqdoC_o2o-32w390tVYL5y1SCzT8cOQOFTd0te7o7y5DPLDrd0mfRZlEs1GJhAsDPCGTd37l68nwnTjmRjTXhqFxGaCdUKy4HuS0b0Nhns9dRo2XuTWwzRtS_eHw-YVm8rI1VPlNj-Trl4WympZna3TrLYhbL0hOaOILiDixbFFdFjZCLszQ/s16000/os%20fabelmans.jpeg
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEgshghm7XBqdoC_o2o-32w390tVYL5y1SCzT8cOQOFTd0te7o7y5DPLDrd0mfRZlEs1GJhAsDPCGTd37l68nwnTjmRjTXhqFxGaCdUKy4HuS0b0Nhns9dRo2XuTWwzRtS_eHw-YVm8rI1VPlNj-Trl4WympZna3TrLYhbL0hOaOILiDixbFFdFjZCLszQ/s72-c/os%20fabelmans.jpeg
Chovendo Sapos
http://www.chovendosapos.com.br/2023/01/critica-os-fabelmans.html
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/2023/01/critica-os-fabelmans.html
true
3477978344278040615
UTF-8
Posts carregados Nada encontrado! VEJA MAIS Leia mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PÁGINAS POSTS Ver todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO PESQUISAR TODOS OS POSTS Nada encontrado VOLTAR Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESSE CONTEÚDO É PREMIUM Por favor, compartilhe para liberar! Copie todo o código Selecione todo código Todos os códigos foram copiados Não foi possível copiar o código