Crítica: Morbius

 

Morbius é a segunda tentativa da Sony de emplacar uma aventura solo de um vilão do Homem-Aranha. Apesar das péssimas críticas, Venom teve algum sucesso comercial e o estúdio resolveu seguir apostando no nicho. O personagem-título em questão é um cientista que tem um experimento para salvar a si e outras pessoas que igualmente sofrem de uma rara doença sanguínea. O teste envolve o uso de uma espécie rara de morcego e o Dr. Morbius se oferece como cobaia para o experimento. Os resultados, claro, não saem como o esperado e ele se transforma em um poderoso e perigoso vampiro sedento por sangue humano. 

A ideia de fazer um filme sobre um personagem como Morbius não soa ruim. Na essência, o que a premissa do longa oferece é uma história clássica de vampiro, uma mitologia que sempre é visitada nas telas das mais diferentes formas. Acontece que, no lugar de flertar abertamente com o gênero horror, algo que, inclusive, preservaria os traços vilanescos do personagem, ou mesmo que acenasse para um romance gótico à la Bram Stoker, Morbius mira no equívoco de transformar a jornada do vilão da Marvel em um tradicional filme de super-herói. 

Com a presença de um vilão caricato vivido por Matt Smith (conhecido do público pelas séries Doctor Who e The Crown), o personagem de Jared Leto se transforma em um super-herói protocolar que salva o dia e a namorada das garras de uma criatura tresloucada. Quando transformado em vampiro, o Dr. Morbius contém o tempo inteiro os seus instintos de predador e combate uma ameaça que na verdade é uma versão de si sem maiores pudores para dilacerar as suas vítimas. 

Morbius não é um vilão, nem um anti-herói, ele é um autêntico herói de filme de super-herói, o mais genérico que podemos imaginar. Não existe esforço algum do longa em construir uma maior complexidade em torno da psicologia ou propósitos da jornada desse personagem, tudo em Morbius gira em torno de obedecer da maneira mais rasa e sem criatividade a fórmula da história de origem: Morbius ganha super-poderes, um vilão ganha super-poderes, o vilão ameaça a humanidade e o interesse amoroso do protagonista e, no fim, Dr. Morbius salva o dia. Com nada novo sob o sol, Morbius se apresenta como um blockbuster sem carisma que não aproveita sequer a verve sombria de um diretor como Daniel Espinosa (do sci-fi Vida), pasteurizando tudo em prol de um entretenimento completamente esquecível. 

Como antecipamos, o longa peca sobretudo na construção dos seus personagens e das suas relações. O protagonista interpretado por Leto é praticamente uma "folha em branco" e, para além do seu debilitado estado de saúde, o público não consegue compreender o que ele aspira ou os traços mais significativos da sua personalidade. Assim, não dá para criar nenhum laço afetivo com Michael Morbius ou sua jornada. Ao mesmo tempo, esse sujeito se envolve em um romance insosso e que o longa sequer se dá ao trabalho de gradualmente construir, mas que lhe parece nevrálgico para compreender as motivações do protagonista no terceiro ato, e estabelece uma elo/rivalidade superficial com o personagem de Matt Smith. Há nas tensões mocinho vs. vilão um recalque fraterno que o longa não faz questão alguma de esmiuçar. 

Com todas as birras que o público possa ter com Jared Leto após atuações questionáveis em filmes como Esquadrão Suicida e Casa Gucci, dessa vez, os problemas não estão com o ator, até porque ele tem muito pouco a fazer com um personagem tão pouco inspirador. O cadafalso de Morbius é mesmo esse apelo pueril que naufraga a maior parte dos filmes de produtores, longas pasteurizados que ambicionam o grande público e, no final das contas, parecem não compreender que o que move fórmulas de sucesso comercial como o projeto Avengers da Marvel Studios não é um modelo de história "heróis vs. mocinhos" ou um número razoável de efeitos visuais barulhentos. 


Avaliação:


Título original: Morbius
Ano: 2022
Duração: 104 minutos
Nos cinemas
Direção: Daniel Espinosa
Roteiro: Matt Sazama e Burk Sharpless
Elenco: Jared Leto, Matt Smith, Adria Arjona, Jared Harris, Tyrese Gibson, Corey Johnson, Charlie Shotwell, Al Madrigal, Archie Renaux.  

Assista ao trailer:



COMENTÁRIOS

Nome

Agenda,14,Checklist,11,Cinco Atos,2,Crítica,315,DVD & Blu-Ray,6,É Tudo Verdade,3,Editorial,2,Ensaios e Artigos,20,Entrevista,2,Extras,9,Listão,32,Matéria Especial,26,Mostra SP,6,Notícias,39,Podcast,3,Prévia,77,Radar Crítico,20,Recomendações,44,Resenhas,132,Rewind,15,TV & Streaming,80,Vídeo,10,Vilões que Amamos Odiar,1,
ltr
item
Chovendo Sapos: Crítica: Morbius
Crítica: Morbius
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEjFlr8JNm17Pm1NGq5tqU8gZWV9sj0VBA303m9uNHmv7eZsk2DoYfJCeV_ts_i39qrcm39rcZ5utri8k6Ow9Rc2wD9txmiTrvTnn-0Hqcd59Jsn7FiyDsJ59XibrlqQnNoHmZ9k8zeoGkcCR_-uKOKNF_ihn9dJ1nzUXOblcMLcF4ghoPf0dQ6eAUI_Mw/w400-h201/160279234028611735-26-1-640x321.jpeg
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEjFlr8JNm17Pm1NGq5tqU8gZWV9sj0VBA303m9uNHmv7eZsk2DoYfJCeV_ts_i39qrcm39rcZ5utri8k6Ow9Rc2wD9txmiTrvTnn-0Hqcd59Jsn7FiyDsJ59XibrlqQnNoHmZ9k8zeoGkcCR_-uKOKNF_ihn9dJ1nzUXOblcMLcF4ghoPf0dQ6eAUI_Mw/s72-w400-c-h201/160279234028611735-26-1-640x321.jpeg
Chovendo Sapos
http://www.chovendosapos.com.br/2022/03/critica-morbius.html
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/2022/03/critica-morbius.html
true
3477978344278040615
UTF-8
Posts carregados Nada encontrado! VEJA MAIS Leia mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PÁGINAS POSTS Ver todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO PESQUISAR TODOS OS POSTS Nada encontrado VOLTAR Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESSE CONTEÚDO É PREMIUM Por favor, compartilhe para liberar! Copie todo o código Selecione todo código Todos os códigos foram copiados Não foi possível copiar o código