Crítica: 7 Prisioneiros

 


Depois do sucesso internacional de Sócrates, indicado a diversas categorias no Independent Spirit Awards, o diretor Alexandre Moratto colheu feito semelhante com o drama 7 Prisioneiros, uma produção da Netflix com a O2 Filmes de Fernando Meirelles (Cidade de Deus). O longa sobre o trabalho escravo no Brasil ganhou um prêmio de melhor filme em língua estrangeira no Festival de Veneza e teve muito sucesso também em sua passagem pelo Festival de Toronto. 

A repercussão foi tamanha que muitos pensaram que o longa de Moratto seria o escolhido para representar o Brasil na disputa por uma vaga na categoria melhor longa internacional do próximo Oscar, já que, além da recepção positiva, o filme contava com uma boa base de campanha, a participação da Netflix e o envolvimento de nomes com bom trânsito em Hollywood, como o protagonista Rodrigo Santoro e o produtor Fernando Meirelles, além, claro, do próprio Moratto. O escolhido para a disputa foi Deserto Particular, de Aly Muritiba, uma eleição que, inclusive, me parece muito mais justa em termos de mérito, mas que não sei se terá a tração que 7 Prisioneiros teria em uma campanha para prêmios, mas isso é assunto para outro tipo de conteúdo. 

7 Prisioneiros conta a história de Mateus, jovem interpretado por Christian Malheiros (mais uma parceria com Moratto depois de Sócrates). Ele vai trabalhar em São Paulo no ferro-velho de Luca, personagem de Rodrigo Santoro (da série Westworld). Lá ele descobre que será mantido prisioneiro junto com outros garotos e fará trabalho escravo para o administrador. É então que ele pensa em formas de sair do lugar. 

O filme tem certa dificuldade para sair da superficialidade na abordagem do tema, tanto que a princípio 7 Prisioneiros parece reduzir a situação às tentativas de fuga do ferro-velho empreendida pelos rapazes. Além disso, o personagem de Santoro surge no começo como a pura encarnação do mal, um vilão unidimensional que existe para fazer maldades com o grupo de garotos. A falsa impressão é diluída (tardiamente) quando algumas problematizações surgem na história. 




 Moratto "joga" com a ética do seu protagonista. Por ter mais estudo que os outros rapazes, Mateus passa a ser uma espécie de "braço direito" do personagem de Santoro e cria uma relação dúbia com o então carrancudo vilão. O Luca de Santoro também vai se mostrando uma personagem multifaceta. Descobrimos suas origens e como ele só representa uma ponta na cadeia de opressores daquele grupo de garotos, há políticos que lucram com o trabalho escravo dos meninos e toda uma sociedade que desconhece situações como aquelas (ou não quer conhecer), mas usufrui seus produtos finais. Nesse momento, o longa apresenta lampejos de originalidade, mostrando que o problema é muito mais complexo do que julgávamos. Ao mesmo tempo, esse caminho também amortiza as ações do personagem de Santoro que é suavemente abonado pelo seu comportamento provedor com a mãe e os irmãos. 

O ponto mais interessante da virada em 7 Prisioneiros é a reflexão que Moratto traz para o próprio protagonista Mateus. Quando o personagem de Christian Malheiros constrói uma relação de confiança com seu algoz, o filme faz Mateus ponderar o tipo de sujeito que ele quer ser dali em diante: ele se transformará em um novo Luca ou será um auxiliar do personagem de Santoro apenas por sobrevivência, porque foi a única maneira que encontrou de escapar daquele inferno? 


Cotação


Título original: 7 Prisioneiros
Ano: 2021
Disponível na Netflix
Direção: Alexandre Moratto
Roteiro: Alexandre Moratto e Thayná Mantesso
Elenco: Christian Malheiros, Rodrigo Santoro, Josias Duarte, Vitor Julian, Lucas Oranmian, Clayton Mariano, Cecília Homem de Mello. 

Trailer: 







COMENTÁRIOS

Nome

Agenda,14,Checklist,11,Cinco Atos,2,Crítica,315,DVD & Blu-Ray,6,É Tudo Verdade,3,Editorial,2,Ensaios e Artigos,20,Entrevista,2,Extras,9,Listão,32,Matéria Especial,26,Mostra SP,6,Notícias,39,Podcast,3,Prévia,77,Radar Crítico,20,Recomendações,49,Resenhas,142,Rewind,15,TV & Streaming,80,Vídeo,10,Vilões que Amamos Odiar,1,
ltr
item
Chovendo Sapos: Crítica: 7 Prisioneiros
Crítica: 7 Prisioneiros
https://1.bp.blogspot.com/-RXHSFSKJhEQ/YY0MuY4u0oI/AAAAAAAAfi0/QCd3q0om05sX12lxVKZRmkRCfSJwrJudQCLcBGAsYHQ/w400-h229/7_Prisioneiros_Netflix-1024x683.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-RXHSFSKJhEQ/YY0MuY4u0oI/AAAAAAAAfi0/QCd3q0om05sX12lxVKZRmkRCfSJwrJudQCLcBGAsYHQ/s72-w400-c-h229/7_Prisioneiros_Netflix-1024x683.jpg
Chovendo Sapos
http://www.chovendosapos.com.br/2021/11/critica-7-prisioneiros.html
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/2021/11/critica-7-prisioneiros.html
true
3477978344278040615
UTF-8
Posts carregados Nada encontrado! VEJA MAIS Leia mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PÁGINAS POSTS Ver todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO PESQUISAR TODOS OS POSTS Nada encontrado VOLTAR Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESSE CONTEÚDO É PREMIUM Por favor, compartilhe para liberar! Copie todo o código Selecione todo código Todos os códigos foram copiados Não foi possível copiar o código