'O Castelo de Vidro' é um drama familiar sobre reconciliações


No centro do drama O Castelo de Vidro está a relação de afeto e mágoa entre a jornalista Jeannette Walls e seu pai Rex. Criada com seus três irmãos de maneira nômade por Rex e a esposa Rose Mary, na adolescência, Jeannette passou a buscar um outro tipo de vida para si. Rex e Rose Mary criaram seus filhos com um estilo de vida que torcia o nariz para os atrativos da cidade grande, reforçando quão predatório é o sistema econômico que rege uma selva de pedra e como a vida simples de poucos recursos é um ideal recomendável. Com o passar do tempo, no entanto, a realidade bate na porta da família e os conflitos começam a aparecer. O alcoolismo de Rex ganha contornos mais severos, falta dinheiro até mesmo para comprar comida e o sonho de construir uma casa perfeita feita de paredes de vidro (ironicamente evidenciando a fragilidade dos sonhos do patriarca) escapa pelos dedos de Rex Walls, que passa a perceber que todos os seus filhos querem tomar rumos "quadradões" em suas vidas.

O longa de Destin Daniel Cretton, que também co-assina o roteiro, é baseado nas memórias da sua própria protagonista, Jeannette Walls. Portanto, o que verá em O Castelo de Vidro é um relato emocionalmente engajado da sua história. No entanto, o mérito do longa é compreender que o teor emotivo e a participação dos seus próprios protagonistas na confecção da trama não quer dizer que o longa transforme seus personagens em super-seres isentos de falhas, sobretudo Rex Walls, interpretado com fibra por Woody Harrelson, indubitavelmente a melhor presença do filme, o que traz como contrapartida, infelizmente, um subaproveitamento tanto de Brie Larson quanto de Naomi Watts, cujas personagens são apenas funcionais para a trama. Apesar desse deslize com seu elenco feminino, Cretton consegue construir uma história que respeita e admira suas personagens, mas também sabe mostrar as suas falhas. 


A força motriz do drama de O Castelo de Vidro está no olhar de Jeannette para o seu pai e como isso a move em seu processo de amadurecimento. Gradualmente, a recusa de Rex por todas as coisas do sistema (dinheiro, auxílio médico e educação institucionalizada para seus filhos) acaba se revelando um estilo de vida difícil de se bancar, até porque nem o próprio personagem está tão certo de que fizera as renúncias necessárias e que as mesmas são de fato indispensáveis. O longa sobrevive graças a esse conflito central: uma jovem percebendo que não deseja o tipo de vida que o pai construiu para si e sua esposa, mas a força e a dívida que a vincula afetivamente ao seu passado. Da rebeldia e fúria com as ranhuras do caráter de Rex, Jeannette passa a sua aceitação e abraça àquilo que seu pai tem de melhor. 

Estruturalmente, o filme fica entre a memória da infância de Jeannette e seus momentos no presente, quando ela é interpretada por Brie Larson (vencedora do Oscar por O Quarto de Jack), nos anos de 1980. Os momentos de maior interesse do longa estão na infância da protagonista, mas sua versão adulta não é de todo descartável já que lá está presente o coração da própria história que nos é contada. Contudo, conforme adiantamos, na maturidade Jeannette vira uma personagem esquematizada e que explora muito pouco o talento dramático da sua intérprete.  O longa derrapa ainda em algumas soluções dramáticas "manjadas" com direito a tomadas de consciência seguidas de discursos grandiloquentes dos seus protagonistas (Larson tem esse momento na mesa de um restaurante). Ainda assim, O Castelo de Vidro rende um relato sensível sobre a quebra da imagem perfeita que criamos dos nossos pais na infância e a constatação na maturidade de que eles são figuras contraditórias e falhas, como nós, afinal são humanos, e como podemos abraçar e viver em paz com isso. 

The Glass Castle, 2017. Dir.: Destin Daniel Cretton. Roteiro: Destin Daniel Cretton e Andrew Lanham. Elenco: Brie Larson, Woody Harrelson, Naomi Watts, Max Greenfield, Ella Anderson, Chandler Head, Josh Caras, Charlie Shotwell, Sarah Snook, Brigette Lundy-Paine. Paris Filmes, 127 min. 

Leia sobre a repercussão internacional do filme na coluna Radar Crítico aqui

Assista ao trailer do filme: 

COMENTÁRIOS

Nome

Agenda,14,Checklist,9,Cinco Atos,1,Crítica,155,DVD & Blu-Ray,6,Editorial,2,Entrevista,2,Extras,9,Listão,18,Matéria Especial,15,Notícias,21,Prévia,77,Radar Crítico,20,Rewind,4,TV & Streaming,35,Vilões que Amamos Odiar,1,
ltr
item
Chovendo Sapos: 'O Castelo de Vidro' é um drama familiar sobre reconciliações
'O Castelo de Vidro' é um drama familiar sobre reconciliações
https://3.bp.blogspot.com/--tiTSn6q8QU/WY5CpeHustI/AAAAAAAAXBI/AGg7WsPvj-YO3zPwiu4uvpYTKtZXiyYPgCLcBGAs/s400/the-glass-castle-movie-0a5c3e2e-6a10-4a7f-954d-7e1f2201d4c0.jpg
https://3.bp.blogspot.com/--tiTSn6q8QU/WY5CpeHustI/AAAAAAAAXBI/AGg7WsPvj-YO3zPwiu4uvpYTKtZXiyYPgCLcBGAs/s72-c/the-glass-castle-movie-0a5c3e2e-6a10-4a7f-954d-7e1f2201d4c0.jpg
Chovendo Sapos
http://www.chovendosapos.com.br/2017/08/critica-o-castelo-de-vidro-e-um-drama.html
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/2017/08/critica-o-castelo-de-vidro-e-um-drama.html
true
3477978344278040615
UTF-8
Posts carregados Nada encontrado! VEJA MAIS Leia mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PÁGINAS POSTS Ver todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO PESQUISAR TODOS OS POSTS Nada encontrado VOLTAR Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESSE CONTEÚDO É PREMIUM Por favor, compartilhe para liberar! Copie todo o código Selecione todo código Todos os códigos foram copiados Não foi possível copiar o código