Os melhores filmes de 2016



#10. Festa da Salsicha |  Dir.: Greg Tiernan e Conrad Vernon

Interpretado como uma animação para adultos politicamente incorreta em virtude dos seus palavrões e das suas piadas de conotação explicitamente sexuais, Festa da Salsicha é um longa subestimado. A animação idealizada pela turma do ator Seth Rogen (A Entrevista) é uma corrosiva cutucada numa sociedade guiada por cabrestos, o principal deles são os dogmas religiosos. O filme não deixa pedra sobre pedra ao contar sua história de revolução dos alimentos em tempos de #pornfood, tratando, explicitamente, desde o conflito Israel e Palestina até a relação dos americanos com aquilo que vem de fora. Tudo isso através do universo dos embutidos e tendo como pano de fundo o romance entre uma baguete e uma salsicha nas prateleiras de um supermercado. 

Como assistir:
Disponível em DVD/Blu-Ray e em serviços como o Net Now a partir de janeiro de 2017.



#09. Indignação |  Dir.: James Schamus

Interessante como esta adaptação do livro homônimo de Philip Roth chega aos cinemas em um momento importante para a difusão da sua crítica sobre a hipocrisia social em tempos nos quais todo mundo quer dar seu palpite sobre qualquer coisa nas redes sociais (e olhem que o filme se passa na década de 50). Primeiro longa dirigido pelo roteirista James Schamus (de O Tigre e o Dragão), Indignação é protagonizado por um rapaz, papel de Logan Lerman (de As Vantagens de ser Invisível), cheio de ideais e discursos progressistas que não consegue converter em ações por força dos seus fortes vínculos familiares. O filme é marcado pelas fortes interpretações de Lerman, Sarah Gadon (Mapas para as Estrelas) e Tracy Letts (A Grande Aposta), mas é o refinado trabalho de adaptação de Schamus que ganha destaque.

Como assistir:
Em breve em DVD e Blu-Ray e serviços como o Net Now.
Assista ao trailer.



#08. Tangerine |  Dir.: Sean Baker

Tangerine foi um tímido e marcante acontecimento cinematográfico. Filmado com uma câmera de celular, o filme de Sean Baker se passa nas ruas de Los Angeles e traz como protagonistas duas transexuais em seus dramas, frustrações e sonhos naquilo que é conhecido como o "submundo" de uma cidade grande. O longa de Sean Baker é um dos poucos a conseguirem captar e dimensionar com naturalidade, respeito, complexidade, simplicidade e doçura narrativa o cotidiano das duas personagens. O que é mais importante, Tangerine lança luz naquilo que ajuda trans como Alexandra e Sin-Dee, interpretadas pelas revelações Mya Taylor e Kitana Kiki Rodriguez, a perseguirem seus sonhos mesmo diante de uma realidade que lhes oferece a face da violência e do preconceito cotidianamente: a amizade e a cumplicidade de quem compartilha as mesmas dores, aspirações e uma mesma história de vida.

Como assistir:
Disponível em serviços como o Net Now.



#07. O Silêncio do Céu |  Dir.: Marco Dutra

Coprodução entre Brasil, Argentina e Uruguai, O Silêncio do Céu é um longa que reforça as marcas do seu realizador, o brasileiro Marco Dutra (de Trabalhar Cansa): a destreza que os filmes do mesmo tem ao trafegar pelo suspense. O filme funciona como um exemplar do gênero, mas no fundo é uma história sobre a incomunicabilidade de um casal e o resgate da mesma por intermédio de uma tragédia. O longa ganhou destaque pela forte interpretação de Carolina Dieckmann (de Entre Nós), cuja personagem sofre um estupro coletivo e posteriormente convive com o trauma do crime, mas vale destacar o primoroso domínio do seu realizador nas duas frentes que convocam seus esforços. Dutra oferece uma atmosfera de imprevisibilidade constante e costura uma dinâmica familiar psicologicamente complexa. 

Como assistir:
Em breve em DVD e Blu-Ray e serviços como o Net Now.



#06. O Convite  |  Dir.: Karyn Kusama

Conhecida por filmes que não lhe renderam boa fama (Garota Infernal e Aeon Flux), Karyn Kusama revela-se ao público do cinema com O Convite, longa que traz como premissa uma misteriosa reunião de amigos durante um jantar de confraternização aparentemente banal. O filme é uma carta aberta e incisiva da realizadora sobre as consequências devastadoras do uso equivocado de uma crença, que, por sinal, se alastram ao longo do filme e toma proporções preocupantes afetando o destino de todos os personagens. Kusama constrói uma história que serve aos propósitos do seu gênero, mas consegue firmar seu filme como um ensaio social e psicológico e o resultado é não menos que formidável.

Como assistir: 
Disponível no catálogo da Netflix (como The Invitation, seu título original).



#05. Meu Rei |  Dir.: Maïwenn

Na tradição de um bom drama de relacionamentos, Meu Rei acompanha a trajetória do casal Tony e Georgio. Do encantamento dos primeiros anos à dissolução de todas as fantasias românticas do seu desfecho, que, por sinal, é uma grande reticências na história dos protagonistas, o título é uma jornada emocionalmente intensa para espectador e personagens. Calibrado pelas intensas interpretações de Emanuelle Bercot (Polissia) e Vincent Cassel (Cisne Negro), o filme ganha uma dimensão ainda mais multifacetada. O longa é uma grande realização da sua diretora Maïwenn (Polissia) que, para o bem e para o mal, nos faz íntimo do casal, tornando-nos cúmplices dos seus momentos de felicidade e intimidade, mas também da revelação das suas facetas pouco sadias. 

Como assistir:
Disponível em serviços como o Net Now. Em breve em DVD. 



#04. A Bruxa |  Dir.: Robert Eggers

Se fosse "apenas" um filme de terror, A Bruxa já teria elementos suficientes para ser um dos melhores títulos lançados no Brasil em 2016. O longa cria uma atmosfera macabra de horror através do seu conto sobrenatural protagonizado por uma família de camponeses do século XVII gradualmente tomada por forças malignas. Contudo, a estreia de Robert Eggers não se contenta com esse lugar e nos conta uma história de descoberta e amadurecimento da jovem Thomasin, interpretada pela revelação Anya Taylor-Joy. O filme não tem o intuito de gerar sustos a cada segundo de projeção e talvez por isso tenha decepcionado os mais entusiastas do gênero. A grande sacada do longa, contudo, é que não é por esta via que ele merece ser observado, mas como um ensaio estético e narrativo sobre o nascimento do horror. 

Como assistir:
Disponível em DVD e serviços como o Net Now.



#03. Carol |  Dir.: Todd Haynes

Carol mobiliza no diretor Todd Haynes (Longe do Paraíso) o que ele tem de melhor a oferecer ao espectador: um melodrama de época com profundas raízes em questões sociais contemporâneas. Através do romance entre a socialite Carol Aird e a vendedora de loja de departamentos Thérese Belivet, Haynes conta, paralelamente, duas histórias. De um lado, a descoberta da sexualidade em uma jovem que por força das circunstâncias nunca havia parado para compreender os seus próprios desejos, por outro, o surpreendente aprendizado que uma mulher madura e bem resolvida pode ter a partir do encontro com a primeira. Em Carol, nasce uma das histórias de amor mais bonitas que vimos em 2016, impactada pelas brilhantes performances de Cate Blanchett (Blue Jasmine) e Rooney Mara (Millenium: Os Homens que não Amavam as Mulheres), ambas indicadas ao Oscar. 

Como assistir:
Disponível em DVD e em serviços como o Net Now.
Assista ao trailer. 




#02. Aquarius |  Dir.: Kleber Mendonça Filho

Já estávamos ambientados com o engajamento político dos filmes de Kleber Mendonça Filho (O Som ao Redor), mas nada nos preparou para o que foi visto em Aquarius, filme que balançou as estruturas da produção brasileira e mundial e que, através de fatores extra-fílmicos, serviu para agitar ainda mais o debate político no Brasil pós-Dilma. O longa de Mendonça Filho exerce um fascínio intenso no espectador se pararmos para pensar que, pela primeira vez, o realizador nos tornou íntimos de uma personagem humana e multifacetada como Clara, interpretada por Sonia Braga (O Beijo da Mulher Aranha), uma estrela internacional no auge da sua forma artística. Na luta de Clara para preservar o seu espaço e a sua identidade num Recife cada vez mais vulnerável às violentas transformações da sua geografia, como toda e qualquer capital, encontramos um filme sobre a resistência e sobre a importância de se colocar em um mundo que a todo instante subtrai de maneira violenta e camuflada nossos direitos. 

Como assistir:
Disponível em DVD e Blu-Ray e em serviços como o Net Now. 



#01. Elle  |  Dir.: Paul Verhoeven

 Tão impactante quanto Aquarius, o controverso Elle também mobilizou discussões intensas que extrapolaram o próprio universo cinematográfico. Provocando o espectador através da sua inusitada protagonista e da reação da mesma com a sucessão de violências que potencialmente a tornariam vulnerável, o diretor Paul Verhoeven (Instinto Selvagem) nos entregou mais um longa provocador e irônico que mexe com o regime de crenças do espectador o tempo inteiro. O longa ganha uma voltagem ainda mais enérgica ao ter uma atriz como Isabelle Huppert (O que está por vir) à frente da composição da protagonista Michèle Leblanc. A impressão é que tudo em Elle foi concebido para inquietar o espectador, da primeira cena até as decisões da protagonista que sucedem aquele momento. Independente da sua relação com o longa, não há como negar, Verhoeven gerou um efeito - assim como Mendonça Filho- que pouquíssimos cineastas têm a coragem de causar hoje em dia, tirar o espectador, a crítica e a própria produção cinematográfica de um lugar que lhes parecia confortável demais.

Como assistir:
Ainda em cartaz nos cinemas.
Assista ao trailer. 


Outros títulos que merecem menção:



#11. James White (veja o trailer)
Disponível no catálogo Netflix
#12. Steve Jobs (veja o trailer)
Disponível em DVD e Blu-Ray e em serviços como o Net Now
#13. Zootopia (veja o trailer)
Disponível em DVD e Blu-Ray e em exibição nos canais da rede Telecine
#14. Invasão Zumbi (veja o trailer)
Em cartaz nos cinemas
#15. Spotlight: Segredos Revelados (veja o trailer)
Disponível em DVD e Blu-Ray e em exibição nos canais da rede Telecine



#16. Caça Fantasmas (veja o trailer)
Disponível em DVD e Blu-Ray e em serviços como o Net Now
#17. Boa Noite, Mamãe! (veja o trailer)
Disponível em DVD e Blu-Ray e nos canais da rede Telecine
#18. Procurando Dory (veja o trailer)
Disponível em DVD e Blu-Ray e em serviços como o Net Now
#19. A Garota do Livro (veja o trailer)
Disponível em DVD e Blu-Ray e em serviços como o Net Now a partir de janeiro de 2017
#20. O Homem nas Trevas (veja o trailer)
Disponível em DVD e Blu-Ray e em serviços como o Net Now


*Somente filmes vistos e lançados comercialmente no Brasil em 2016 (cinema, homevideo e streamings) 

Confira outros Listões de 2016:

COMENTÁRIOS

Nome

Agenda,6,Checklist,5,Cinco Atos,1,Crítica,76,DVD & Blu-Ray,5,Editorial,2,Entrevista,1,Extras,3,Listão,13,Matéria Especial,4,Prévia,24,Radar Crítico,13,Rewind,2,TV & Streaming,12,Vilões que Amamos Odiar,1,
ltr
item
Chovendo Sapos: Os melhores filmes de 2016
Os melhores filmes de 2016
https://1.bp.blogspot.com/-sEi4XLdT2G0/WElZFltF0uI/AAAAAAAAWZ4/8si6K8K2Z7gcAG5yq0hoYAXhkcX4fy4RwCLcB/s400/sausageparty%2B%25281%2529.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-sEi4XLdT2G0/WElZFltF0uI/AAAAAAAAWZ4/8si6K8K2Z7gcAG5yq0hoYAXhkcX4fy4RwCLcB/s72-c/sausageparty%2B%25281%2529.jpg
Chovendo Sapos
http://www.chovendosapos.com.br/2016/12/listao-2016-os-melhores-filmes-do-ano.html
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/2016/12/listao-2016-os-melhores-filmes-do-ano.html
true
3477978344278040615
UTF-8
Posts carregados Nada encontrado! VEJA MAIS Leia mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PÁGINAS POSTS Ver todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO PESQUISAR TODOS OS POSTS Nada encontrado VOLTAR Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESSE CONTEÚDO É PREMIUM Por favor, compartilhe para liberar! Copie todo o código Selecione todo código Todos os códigos foram copiados Não foi possível copiar o código