(Crítica) 'Animais Fantásticos e Onde Habitam' não desonra o legado de J.K. Rowling


Parecia um mero pretexto comercial - e no âmago da discussão sobre a sua própria existência não deixa de ser -, mas J.K. Rowling conseguiu o que, por um bom tempo, duvidei bastante que realizaria em Animais Fantásticos e Onde Habitam: expandir as possibilidades do universo que cimentara com os livros Harry Potter e que logo se tornou um dos maiores fenômenos cinematográficos dos últimos anos. Baseado no livro homônimo escrito pela própria Rowling sob o pseudônimo Newt Scamander (personagem interpretado por Eddie Redmayne, de A Teoria de Tudo), Animais Fantásticos e Onde Habitam, que traz a sua estreia como roteirista, é uma criação própria da escritora para os cinemas já que na essência o livro funciona como um glossário, citado inclusive pelos personagens de Harry Potter. 

Assim, sob o comando de David Yates (que dirigiu os longas da franquia a partir de A Ordem da Fênix) e sob o controle criativo de Rowling, Animais Fantásticos e Onde Habitam funda-se nas mesmas bases competentes e segue caminhos parecidos àqueles que garantiram a longevidade dos filmes protagonizados por Daniel Radcliffe: oferece diversão na dose certa e apresenta uma série de personagens cativantes em situações que provocam empatia no espectador. No longa, Redmayne vive um magizoologista que chega à Nova York dos anos de 1920 com uma maleta repleta de animais mágicos coletados ao longo de suas andanças pelo mundo. Quando algumas criaturas fogem, o universo dos bruxos fica exposto e a comunidade de magia norte-americana teme que isso possa gerar um conflito entre eles e os trouxas (chamados de não-maj nos EUA). 

Animais Fantásticos e Onde Habitam traz um equilíbrio interessante entre a leveza de uma fita de fantasia e uma forte carga dramática que sugere temas como a intolerância e os perigos de lideranças políticas autoritárias, enredando seu quarteto de personagens centrais formado por Redmayne (afetado, porém mais tolerável que o costume), Katherine Waterston (de Vício Inerente), Dan Fogler (Escola de Espiões) e Alison Sudol (do inédito Between Us) numa relação de empatia gradativa com a plateia. Visto sob a lente clínica de uma análise formal, o filme não acrescenta absolutamente nada ao que já fora realizado anteriormente por Rowling e pela equipe criativa que se envolveu na franquia Harry Potter, porém é nesse terreno da familiaridade  e sob os termos de novas relações de cumplicidade com uma outra história e outros personagens que o longa encontra o seu caminho certeiro em duas horas e alguns minutos de relógio que passam voando.

Além de seguir o caminho que fez a franquia Harry Potter ser o que é, sob engrenagens e propósitos bastante parecidos, Animais Fantásticos nos transportar para um outro universo, fincando âncora no espírito e nas referências do que fora estabelecido, mas sem muita dependência - o que é maravilhoso. Trata-se de algo que promete agradar aos fãs mais enérgicos da franquia e àqueles que tiveram uma relação razoavelmente empática com Harry Potter. Animais Fantásticos localiza-se na órbita do trabalho anterior de Rowling, mas não é subserviente a ele, tem vida própria e muitas camadas a serem exploradas no futuro. Existe um envolvimento genuíno do espectador com o filme, tanto que nem sentimos aquela lacuna saudosista pelo fato dessa nova história não ter Harry, Ron ou Hermione, ainda que eles tenham o seu lugar cativo na memória afetiva da plateia. Scamander e cia dão conta bonito do recado. 


Fantastic Beasts and Where to Find Them, 2016. Dir.: David Yates. Roteiro: J.K. Rowling. Elenco: Eddie Redmayne, Katherine Waterston, Dan Fogler, Alison Sudol, Colin Farrell, Ezra Miller, Samantha Morton, Jon Voight, Carmen Ejogo. Warner, 133 min. 

Assista ao trailer do filme:

COMENTÁRIOS

Nome

Agenda,6,Checklist,5,Cinco Atos,1,Crítica,76,DVD & Blu-Ray,5,Editorial,2,Entrevista,1,Extras,3,Listão,13,Matéria Especial,4,Prévia,25,Radar Crítico,13,Rewind,3,TV & Streaming,12,Vilões que Amamos Odiar,1,
ltr
item
Chovendo Sapos: (Crítica) 'Animais Fantásticos e Onde Habitam' não desonra o legado de J.K. Rowling
(Crítica) 'Animais Fantásticos e Onde Habitam' não desonra o legado de J.K. Rowling
https://4.bp.blogspot.com/-NaD7sWxrT24/WCkhFnBu3YI/AAAAAAAAWUE/TUl_e_gLRdwP8FhtZxwZ8kbbpn-wYI7UACLcB/s400/AnimaisFantasticosEOndeHabitam.jpg
https://4.bp.blogspot.com/-NaD7sWxrT24/WCkhFnBu3YI/AAAAAAAAWUE/TUl_e_gLRdwP8FhtZxwZ8kbbpn-wYI7UACLcB/s72-c/AnimaisFantasticosEOndeHabitam.jpg
Chovendo Sapos
http://www.chovendosapos.com.br/2016/11/critica-animais-fantasticos-e-onde.html
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/2016/11/critica-animais-fantasticos-e-onde.html
true
3477978344278040615
UTF-8
Posts carregados Nada encontrado! VEJA MAIS Leia mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PÁGINAS POSTS Ver todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO PESQUISAR TODOS OS POSTS Nada encontrado VOLTAR Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESSE CONTEÚDO É PREMIUM Por favor, compartilhe para liberar! Copie todo o código Selecione todo código Todos os códigos foram copiados Não foi possível copiar o código