Malala



Ativista pelos direitos das mulheres e pela educação, a pessoa mais jovem a receber o prêmio Nobel, capa da revista Time, que a considerou em 2013 uma das cem pessoas mais influentes do mundo... Malala Yousafzai tem apenas 18 anos mas já tem associada ao seu nome uma série de títulos e feitos que a tornaram símbolo de uma luta contra as ações opressoras do Talibã, movimento fundamentalista islâmico que se difundiu no Paquistão, sobretudo contra as mulheres e o direito delas terem acesso à educação. 

O documentário Malala narra a trajetória de Malala Yousafzai desde a origem do seu nome, escolhido pelo pai Ziauddin em homenagem a uma guerreira afegã, até os acontecimentos que sucederam o ataque talibã sofrido pela jovem e suas colegas próximo de uma escola. Entre depoimentos de Malala, Ziauddin e do restante dos membros da família Yousafzai, hoje todos residentes na Inglaterra, e animações que remontam algumas passagens da história da jovem ativista antes do ataque covarde que sofrera, o diretor Davis Guggenheim, de Uma Verdade Inconveniente, contrói uma narrativa abertamente pró-educação. Por intermédio da luta de Malala, a mensagem do diretor é clara: a educação abre as portas, engrandece, torna o ser humano mais crítico e preparado para construir um mundo melhor. Não há camuflagem de discursos ou conemporizações em Malala

Malala é um documentário que assume um partido e é completamente afetuoso e admirador da sua protagonista sem que isso confira deméritos a obra. Ao mesmo tempo em que Guggenheim consegue fazer do filme uma bandeira ideológica, ele não traz grandes afetações melodramáticas e discursos vazios. O realizador busca ir ao íntimo da sua personagem principal, extraindo feridas e acompanhando de perto o dia-a-dia da família Yousafzai, que como qualquer grupo familiar é marcado por hierarquias, conflitos e contradições, mas também por muito amor, implicâncias entre irmãos e relações de sucessão. Tudo é construído para tornar Malala próxima do espectador, criando empatia com a protagonista do documentário, mas sem dramalhões. 

O filme de Davis Guggenheim não é inovador em seu gênero, tampouco deseja ser. Em sua narrativa documental repleta de chavões no formato (os flashbacks em animação, os depoimentos dos envolvidos, a linearidade cronológica etc.), Malala encontra sua relevância e é eficiente em seus propósitos ideológicos. Guggenheim acerta ao evitar qualquer sensacionalismo no retrato da trajetória ainda breve de Malala fazendo com que, no fim das contas, o documentário seja um relato sóbrio de sua biografada revestido por uma completa adesão a sua causa. 


He named me Malala, 2015. Dir.: Davis Guggenheim. Documentário. Fox, 88 min.

COMENTÁRIOS

Nome

Agenda,6,Checklist,5,Cinco Atos,1,Crítica,76,DVD & Blu-Ray,5,Editorial,2,Entrevista,1,Extras,3,Listão,13,Matéria Especial,4,Prévia,25,Radar Crítico,13,Rewind,3,TV & Streaming,12,Vilões que Amamos Odiar,1,
ltr
item
Chovendo Sapos: Malala
Malala
http://1.bp.blogspot.com/-mQumSfLrR0Y/VkSeIb5SN_I/AAAAAAAAUPM/N5_vnG5sNRg/s640/malala.png
http://1.bp.blogspot.com/-mQumSfLrR0Y/VkSeIb5SN_I/AAAAAAAAUPM/N5_vnG5sNRg/s72-c/malala.png
Chovendo Sapos
http://www.chovendosapos.com.br/2015/11/malala.html
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/2015/11/malala.html
true
3477978344278040615
UTF-8
Posts carregados Nada encontrado! VEJA MAIS Leia mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PÁGINAS POSTS Ver todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO PESQUISAR TODOS OS POSTS Nada encontrado VOLTAR Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESSE CONTEÚDO É PREMIUM Por favor, compartilhe para liberar! Copie todo o código Selecione todo código Todos os códigos foram copiados Não foi possível copiar o código