Força da natureza

O Impossível acerta ao evitar o clichê do cinema catástrofe e concentrar esforços na perspectiva de seus personagens sobre o tsunami no Sudeste Asiático


Reza a "lenda" que há uma regra em Hollywood: quer arrancar lágrimas e mais lágrimas da plateia? Basta colocar crianças ou animais em situações de perigo. Explicar as razões da conexão do público com O Impossível apenas com esse argumento seria leviano, claro que o filme é muito mais que isso. Existe uma história de sobrevivência que, querendo ou não, comove a plateia, já que reconstitui um dos desastres naturais mais trágicos desse início de século, o tsunami na Ásia em 2004, mas as aspirações dos personagens são mais fortes que isso. Tudo o que Maria e Henry, personagens de Naomi Watts e Ewan McGregor, querem é se reencontrar - o casal se perde durante o evento -, sobreviver, já que não podem deixar seus filhos órfãos, e tirar seus três garotos daquele verdadeiro inferno.

Bayona adaptou a história a seus protagonistas. O Impossível é baseado nos relatos da espanhola Maria Belón, que estava passando o final de ano no país junto com sua família e viveu toda a via crucis que a personagem de Watts passa no longa. Em linhas gerais, O Impossível traz Naomi Watts e Ewan McGregor como um casal inglês em férias na Tailândia com seus três filhos. A família é surpreendida pelo tsunami que matou milhares de pessoas na região em 2004. Maria fica com Lucas, filho mais velho e rebelde do casal, enquanto Henry acaba preso na região do hotel com Simon e Thomas, os meninos mais novos. 


O roteiro de O Impossível não tem muita coisa de especial. Escrito por Sergio G. Sánchez, parceiro de Bayona em seu filme anterior, O Orfanato, o script não traça nenhuma linha mais profunda sobre a família protagonista. No entanto, Bayona contorna belíssimamente esse pretenso problema do filme com um olhar certeiro e consciente sobre os fatos e sobre o material que tem em mãos. O espanhol não cai no equívoco de transformar seu longa em um hiperbólico filme catástrofe ou um trabalho com cunho ambientalista exageradamente panfletário. O diretor concentra seus esforços na família protagonista da história, a perspectiva deles sobre o evento, e com muita simplicidade consegue estabelecer uma conexão instantânea com a plateia. Afinal, não é muito difícil não se identificar com os sentimentos que permeiam a família Bennett.

O diretor é beneficiado pelas interpretações comoventes do quinteto central, especialmente Naomi Watts, Ewan McGregor e o garoto Tom Holland, intérprete do filho mais velho. Watts novamente se submete a um desempenho físico e instintivo, com ecos de James Franco em 127 Horas. Mas o caso de Naomi é ainda mais extremo, o longa explora (no bom sentido da palavra) os sentimentos maternos. Há uma cena em específico que deixa todos arrepiados: Maria emerge das águas e se agarra em uma Palmeira para não ser levada pela corrente, instantaneamente, um choro pela dor física se confunde com seu desespero por achar que perdeu marido e filhos. Com bem menos tempo na tela que Watts, McGregor também é responsável por momentos arrepiantes na busca por sua esposa. A revelação, no entanto, fica por conta de Tom Holland, que encara toda a carga emocional exigida pelo roteiro com muita maturidade.


Por esse olhar, O Impossível encontra o tom adequado para tratar catástrofes naturais como essas. Mais do que o desafio de técnicos em reconstituir com fidelidade um evento, mostrando todo o poderio hollywoodiano em efeitos especiais, esses filmes carecem de um olhar humano. Afinal, em meio aos escombros e horrores - sim, porque Bayona está certo em retratar o aspecto sombrio de um evento como esse, já que assim ele deve parecer para quem o vivencia -, o drama de famílias, pessoas comuns, que de repente se veem tão frágeis e impotentes diante da própria natureza, deve prevalecer.



The Impossible, 2012. Dir.: Juan Antonio Bayona. Roteiro: Sergio G. Sánchez. Elenco: Naomi Watts, Ewan McGregor, Tom Holland, Samuel Joslin, Oaklee Pendergast, Geraldine Chaplin, Johan Sundberg, Marta Etura, Sonke Mohring, Ploy Jindachote. 114 min. Paris Filmes.

COMENTÁRIOS

Nome

Agenda,9,Checklist,6,Cinco Atos,1,Crítica,83,DVD & Blu-Ray,5,Editorial,2,Entrevista,1,Extras,5,Listão,13,Matéria Especial,4,Prévia,36,Radar Crítico,18,Rewind,3,TV & Streaming,17,Vilões que Amamos Odiar,1,
ltr
item
Chovendo Sapos: Força da natureza
Força da natureza
http://4.bp.blogspot.com/-pbRf6nMX1rI/UJbV8-juCxI/AAAAAAAAN70/9XwbNh8PXC8/s400/theimpossible.jpg
http://4.bp.blogspot.com/-pbRf6nMX1rI/UJbV8-juCxI/AAAAAAAAN70/9XwbNh8PXC8/s72-c/theimpossible.jpg
Chovendo Sapos
http://www.chovendosapos.com.br/2012/12/forca-da-natureza.html
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/2012/12/forca-da-natureza.html
true
3477978344278040615
UTF-8
Posts carregados Nada encontrado! VEJA MAIS Leia mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PÁGINAS POSTS Ver todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO PESQUISAR TODOS OS POSTS Nada encontrado VOLTAR Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESSE CONTEÚDO É PREMIUM Por favor, compartilhe para liberar! Copie todo o código Selecione todo código Todos os códigos foram copiados Não foi possível copiar o código