Guia Oscar 2012 - As Atrizes

As protagonistas...

Meryl Streep
A Dama de Ferro

Dispensa apresentações. Meryl Streep é uma das poucas unanimidades da Hollywood atual. A história de Streep com o Oscar começou com seu segundo longa-metragem, O Franco Atirador, de Michael Cimino. De lá para cá, a atriz acumulou 17 indicações ao Oscar - recordista em indicações ao prêmio - e duas estatuetas, uma como melhor atriz coadjuvante por Kramer vs. Kramer e outra como melhor atriz por A Escolha de Sofia, ambos no início da décadade 1980. Quem pensava que as duas vitórias cessariam o flerte da Academia se enganou, seguiram indicações por filmes como Entre Dois Amores, As Pontes de Madison e Adaptação. Streep também marcou história por ser a primeira atriz na faixa dos 60 anos a ser um chamariz nas bilheterias. Um feito que a atriz conseguiu há pouco menos de 10 anos, com o sucesso de O Diabo veste Prada em 2006. Conseguiram o mesmo feito Mamma Mia!, Julie e Julia e Simplesmente Complicado. Em uma época onde as atrizes reclamam constantemente da falta de papeis femininos marcantes, sobretudo para mulheres maduras, Meryl é uma inspiração para o público e para sas colegas de profissão.

Suas chances nesta edição do Oscar: A rivalidade na temporada fica por conta dos desempenhos de Meryl Streep e Viola Davis. Apesar de Viola Davis ter vencido o prêmio do Sindicato dos Atores, o prestígio de Meryl e a sensação de que já está passando da hora dela receber o terceiro Oscar é evidente. Viola é a favorita do ano, mas não seria surpresa ver Streep vencer por um filme que parece ter sido feito por encomenda para a atriz e para o "paladar" da Academia.

Indicações anteriores: Melhor atriz por Julie e Julia (2009), melhor atriz por Dúvida (2008), melhor atriz por O Diabo veste Prada (2006), melhor atriz coadjuvante por Adaptação (2002), melhor atriz por Música do Coração (1999), melhor atriz por Um Amor Verdadeiro (1998), melhor atriz por As Pontes de Madison (1995), melhor atriz por Lembranças de Hollywood (1990), melhor atriz por Um Grito no Escuro (1988), melhor atriz por Ironweed (1987), melhor atriz por Entre Dois Amores (1985), melhor atriz por Silkwood - O Retrato de uma Coragem (1983), melhor atriz por A Mulher do Tenente Francês (1981) e melhor atriz coadjuvante por O Franco Atirador (1978).

Vitórias anteriores: Melhor atriz por A Escolha de Sofia (1982) e melhor atriz coadjuvante por Kramer vs. Kramer (1979).

Viola Davis
Histórias Cruzadas

Vencedora de um Tony Award, prêmio máximo do teatro norte-americano, Viola Davis só conseguiu papeis representativos nas telonas nos últimos anos. No entanto, Davis chega no Oscar com status de veterana, lutando de igual para igual com sua colega de elenco em Dúvida, Meryl Streep, de quem é grande amiga. Além de Streep, Davis cultivou a amizade de outras figuras respeitadas em Hollywood. O cineasta Steven Soderbergh já contou com o nome da atriz em  produções: Irresistível Paixão, Traffic e Solaris. A atriz também teve papeis significativos em Voltando a Viver, filme de Denzel Washington,e Longe do Paraíso. Mas Viola chamou a atenção do público de cinema em Dúvida, onde interpretava a mãe de um garoto de uma escola católica às voltas com a suspeita de que seu filho teria sido sexualmente moletado por um dos padres da instituição. A aparição da atriz no drama dura menos que 10 minutos, no entanto, para convencer John Patrick Shanley de que poderia interpretar a personagem, Viola chgou a escrever uma extensa biografia de sua personagem, descrevendo toda sua trajetória e suas motivações.

Suas chances nesta edição do Oscar: As dúvidas sobre o favoritismo de Davis foi cessada com sua vitória no SAG Awards, premiação do sindicato dos atores. Será a primeira negra premiada na categoria principal depois da vitória de Halle Berry em 2001 por A Última Ceia - sendo a segunda em toda história da premiação da Academia. A vitória aina é mais significativa se pensarmos que sua parceira de cena, Octavia Spencer, é favorita a coadjuvante e ambas estão em uma produção que fala sobre preconceito racial.

Indicações anteriores: Melhor atriz coadjuvante por Dúvida (2008).

Vitórias anteriores: -

Michelle Williams
Sete Dias com Marilyn

Michelle Williams vem confirmando suas ambições desde que o seriado adolescente Dawson's Creek finalizou sua última temporada. Williams nunca escondeu que Creek foi apenas um trampolim que encontrou para um objetivo maior e - que me desculpem os fãs da série - cada passo dado pela atriz até aqui parece ter valido a pena. A ponto de Williams convencer o público e a crítica na pele do ícone Marilyn Monroe em Sete Dias com Marilyn, sem ao menos parecer fisicamente com a maior estrela que Hollywood já conheceu. O primeiro grande papel de Williams no cinema foi em O Segredo de Brokeback Mountain, filme de 2005 dirigido por Ang Lee, trabalho que rendeu a primeira indicação ao prêmio para a atriz. Com o sucesso de Brokeback Mountain, Michelle Williams foi na contramão da maioria das atrizes de suafaixa etária: preferiu produções independentes e autorais a grandes produções de Hollywood. Assim, Williams esteve em Não Estou Lá, Sinédoque Nova York, Wendy e Lucy e Um Amor Jovem. Em 2010, Michelle teve um grande ano, atuou em Ilha do Medo, de Martin Scorsese, ao lado de Leonardo DiCaprio, e em Namorados para Sempre, contracenando com Ryan Gosling. Williams será vista em breve no prequel de O Mágico de Oz, onde viverá Glinda, a Bruxa Boa do Sul.


Suas chances nesta edição do Oscar: Williams começou a temporada bem, recebeu alguns prêmios e foi mencionada como a melhor interpretação feminina do ano por algumas associações nos EUA. No entanto, o duelo ferrenho travado por Streep e Davis a tirou um pouco da jogada. Mas não há como descartá-la, numa remota hipótese de divisão de votos entre suas concorrentes, ela poderá se beneficiar, ainda mais se levarmos em conta que ela interpreta Marilyn Monroe.

Indicações anteriores: Melhor atriz por Namorados para Sempre (2010) e melhor atriz coadjuvante por O Segredo de Brokeback Mountain (2005).

Vitórias anteriores: -
Rooney Mara
Os Homens que não Amavam as Mulheres

Herdeira de uma fortuna gerada com o time de futebol americano fundado por sua família, o New York Giants, Rooney Mara penou para convencer David Fincher de que era a atriz certa para viver Lisbeth Salander de Os Homens que não Amavam as Mulheres, um dos papeis mais disputados em Hollywood nos últimos anos. Para tanto a atriz se submeteu a uma grande bateria de testes de câmeras, ensaios fotográficos (em um deles chegou a aparecer bêbada no estúdio para ter um resultado melhor diante das lentes) e aceitou colocar os piercings da personagem em seu corpo e transformar seu corpo para ficar mais próxima do que Fincher queria de Salander. O resulado deu certo e Mara conseguiu a indicação mais significativ do filme de Fincher nesta edição do Oscar. Um feito e tanto para uma atriz com um currículo tão recente quanto Mara. Antes de Os Homens que não Amavam as Mulheres, a atriz esteve em A Rede Social, também de Fincher, onde interpretou a namorada de Mark Zuckerberg, e no remake de A Hora do Pesadelo.

Suas chances nesta edição do Oscar: O anúncio do nome de Mara foi uma surpresa para alguns que esperavam ver o nome de Tilda Swinton ser anunciado por Precisamos Falar sobre Kevin. No entanto, a indicação de Mara tem se confirmado como uma menção praticamente certa para outros. O longa de Fincher estreou no final do ano e muitas associações e sindicatos podem não ter tido tempo suficiente para lembrar do filme em diversas categorias. Contudo, será difícil a atriz ganhar na categoria.

Indicações anteriores: -

Vitórias anteriores: -

Glenn Close
Albert Nobbs

Desde o início da temporada, antes mesmo dos filmes estrearem comercialmente ou em festivais, Glenn Close foi apontada como a favorita ao prêmio de 2012. Close já foi indicada seis vezes ao Oscar e apesar de trabalhos icônicos como os que fez em Ligações Perigosas e Atração Fatal nunca ganhou o Oscar. Seria uma justiça maior premiar Close que entregar a Streep seu terceiro Oscar, certo? Seria se Albert Nobbs, seu trabalho na temporada não encontrasse as ressalvas de alguns críticos a seu resultado final. No entanto a atriz é um nome respeitável e ressurge para o cinema, após uma temporada se dedicando à televisão, sobretudo com seu trabalho na série Damages. Antes da televisão, Close viveu a vilã Cruela DeVil de 101 Dálmatas, esteve em Marte Ataca!, Força Aérea Um O Reverso da Fortuna.

Suas chances nesta edição do Oscar: Não teria dúvidas sobre seu favoritismo, caso Albert Nobbs não fosse um filme que dividisse tanto as opiniões. A atriz te uma composição dificílima em mãos ao dar vida a uma mulher que durante anos se veste como homem para manter um emprego. Hoje é o nome mais "fraco" da disputa.

Indicações anteriores: Melhor atriz por Ligações Perigosas (1988), melhor atriz por Atração Fatal (1987), melhor atriz coadjuvante por Um Homem Fora de Série (1984), melhor atriz coadjuvante por O Reencontro (1983) e melhor atriz coadjuvante por O Mundo segundo Garp (1983). 

Vitórias anteriores: -

As coadjuvantes...

Octavia Spencer
Histórias Cruzadas

Você pode não ter percebido mas já viu Octavia Spencer em Tempo de Matar, Quero ser John Malkovich, Homem-Aranha, Arraste-me para o Inferno e O Solista. Octavia Spencer é um daqueles casos de atrizes que você já viu por aí, em papeis pequenos, e que por um filme ganha notoriedade internacional. O filme em questão é Histórias Cruzadas. A composição da atriz para Minny Jackson anda surtindo efeito. Além das inicações a prêmios, Spencer já assinou para participar de produções disputadas como Snow Piercer, primeiro filme em inglês do coreano Joon-ho Bong (O Hospedeiro), e a primeira aventura da roteirista Diablo Cody como diretora, ainda sem título definido.

Suas chances nesta edição do Oscar: A atriz praticamente venceu todos os prêmios do ano. Sua adversária natural, Shailene Woodley de Os Descendentes, que faturou alguns prêmios que Spencer não ganhou, sequer foi indicada. Sua premiação também pode fazer história na Academia, caso Viola Davis conquiste o prêmio de melhor atriz. Seria a primeira vez que o Oscar premia duas negras na mesma edição.

Indicações anteriores: -

Vitórias anteriores: -
Jessica Chastain
Histórias Cruzadas

2011 foi um ano atribulado na carreira de Jessica Chastain, ela esteve em nada menos que sete produções. Explica-se: Jessica dedica-se às filmagens destas produções desde 2009, no entanto, algumas delas tiveram a estreia adiada. Pouco experiente, a atriz tinha no currículo participações em seriados e filmes modestos como Jolene, Jessica foi uma das revelações do ano. A atriz causou tanto impacto nos EUA que a imprensa estrangeira não questionou a hipótese de Chastain ser indicada a prêmios na temporada de 2011, a dúvida era através de qual filme o talento da atriz seria reconhecido? O vencedor da Palma de Ouro em Cannes A Árvore da Vida? O elogiado drama catástrofe O Abrigo ? O Shakespeare dirigido pelo ator Ralph Fiennes, Coriolannus? O escolhido foi Histórias Cruzadas. A certeza é que a gente ainda vai ouvir falarem muito de Jessica Chastain pelos próximos anos.

Suas chances nesta edição do Oscar: Não fosse Spencer o prêmio seria dela (uma pena pois considero seu desempenho melhor que a interpretação da favorita nesta categoria).

Indicações anteriores: -

Vitórias anteriores: -







Bérénice Bejo
O Artista

Nascida em Buenos Aires, Bérénice Bejo é filha do cineasta argentino Miguel Bejo. Quando pequena, Bérénice mudou-se com sua família para Paris e lá deu os primeiros passos na carreira de atriz. O único filme estrangeiro que Bejo tem no currículo é Coração de Cavaleiro, longa de 2001 protagonizado por Heath Ledger. O restante da filmografia da atriz é preenchida com produções francesas como Meilleur Espoir Féminin e O Agente 117, trabalho do mesmo time responsável pelo filme que lhe concedeu uma indicação ao Oscar, O Artista, o diretor Michel Hazanavicius e o ator Jean Dujardin. Bejo, por sinal, é casada com Hazanavicius. 

Suas chances nesta edição do Oscar: A menção ao trabalho da atriz torna-se relevante se pensarmos que O Artista é favorito ao prêmio principal da noite. No entanto, a Academia lembrará do filme em outras categorias, dificilmente aqui.

Indicações anteriores: -

Vitórias anteriores: -

Janet McTeer
Albert Nobbs

Da lista de coadjuvantes indicadas em 2011, Janet McTeer é a única veterana no Oscar. A inglesa é uma das damas dos palcos londrinos. McTeer já ganhou um prêmio Laurence Olivier e um Tony, prêmios máximos dos palcos britânicos e norte-americanos, respectivamente. A atriz começou a carreira no cinema em 1986 com Half Moon Street, filme protagonizado por Sigourney Weaver. Desde então vieram papeis interessantes em O Morro dos Ventos Uivantes, Velvet Goldmine, Amor Maior que a Vida e Livre para Amar, filme que lhe rendeu sua única indicação ao Oscar. Uma curiosidade sobre a atriz: Janet chegou  trabalhar como garçonete em um café londrino que tinha como cliente assíduo Gary Oldman, hoje, indicado ao Oscar na mesma edição do prêmio que a atriz também foi indicada. O mundo dá voltas.
Suas chances nesta edição do Oscar:McTeer está tão bem em Albert Nobbs que alguns críticos chegaram a dizer que seu trabalho supera o de Glenn Close no filme. Não preciso dizer mais nada.

Indicações anteriores: Melhor atriz por Livre para Amar (1999)

Vitórias anteriores: -
Melissa McCarthy
Missão Madrinha de Casamento

Shailene Woodley de Os Descendentes deve ter se contorcido em casa, assim como todos nós, quando ouviu o nome de Melissa McCarthy no anúncio dos indicados ao Oscar deste ano. Tá certo que a indicação ao Globo de Ouro e, principalmente, ao SAG sinalizaram que a vaga de Melissa estava mais que grantida, mas ninguém pensou que esta brincadeira fosse levar a atriz tão longe. Melissa consagrou-se na televisão em séries como Gilmore Girls, Samantha Who? e Mike & Molly, seriado que lhe rendeu um Emmy, prêmio máximo da televisão norte-americana. A atriz já havia passado pelo cinema em filmes como Número 9 (com Ryan Reynolds, não o que foi protagonizado por Jim Carrey), Plano B A Vida de David Gale. Missão Madrinha de Casamento deu um "start" para o início da carreira da comediante nas telonas.
Suas chances nesta edição do Oscar: McCarthy é um dos raros casos de comediantes que não tiveram que se render ao drama para receber um indicação ao Oscar. Seu trabalho no filme é ótimo, mas será que merecia tanto. A indicação é simbólica para o trabalho do elenco do filme, as outras atrizes de Missão Madrinha de Casamento estão tão boas quanto McCarthy. Deve ficar só na indicação, o que é muito para um nome que comeu pelas beiradas durante toda a temporada de premiações.

Indicações anteriores: -

Vitórias anteriores: -

COMENTÁRIOS

Nome

Agenda,9,Checklist,6,Cinco Atos,1,Crítica,83,DVD & Blu-Ray,5,Editorial,2,Entrevista,1,Extras,5,Listão,13,Matéria Especial,4,Prévia,37,Radar Crítico,18,Rewind,3,TV & Streaming,17,Vilões que Amamos Odiar,1,
ltr
item
Chovendo Sapos: Guia Oscar 2012 - As Atrizes
Guia Oscar 2012 - As Atrizes
http://3.bp.blogspot.com/-z67m4BlRFGg/Ty8_-Ew6MHI/AAAAAAAALdk/Bs7DtGbpIjA/s400/actressmeryl.jpg
http://3.bp.blogspot.com/-z67m4BlRFGg/Ty8_-Ew6MHI/AAAAAAAALdk/Bs7DtGbpIjA/s72-c/actressmeryl.jpg
Chovendo Sapos
http://www.chovendosapos.com.br/2012/02/guia-oscar-2012-as-atrizes.html
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/
http://www.chovendosapos.com.br/2012/02/guia-oscar-2012-as-atrizes.html
true
3477978344278040615
UTF-8
Posts carregados Nada encontrado! VEJA MAIS Leia mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PÁGINAS POSTS Ver todos RECOMENDADO PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO PESQUISAR TODOS OS POSTS Nada encontrado VOLTAR Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESSE CONTEÚDO É PREMIUM Por favor, compartilhe para liberar! Copie todo o código Selecione todo código Todos os códigos foram copiados Não foi possível copiar o código